Memórias e esquecimentos

sexta-feira, 29 de abril de 2011

quarta-feira, 27 de abril de 2011

terça-feira, 26 de abril de 2011

RUAS SONHOS-SEMELHANÇAS
PRAÇAS DESCONCRETADAS
GRANDES UTOPIAS
Laercio Nicolau
BOXE OU TOURO INDOMÁVEL

...O JUIZ JÁ ESTÁ NO TRÊS,
MINHAS VISTAS ESCURAS NÃO PERCEBEM MAIS AO MEU REDOR,
SÓ OUÇO OS GRITOS DA MULTIDÃO EXTASIADA E SANGUINOLENTA,
E MINHA PRÓPRIA RESPIRAÇÃO PROFUNDA, QUE NÃO SE ENTREGA.
UM PESO INSEGURÁVEL TOMA CONTA DE MEU CORPO, 
ME SINTO ENRAIZANDO,
MEU SUOR IMPREGNADO POR TODA A MINHA VIDA REGA O QUE HÁ DE MIM,
GRITOS E URROS DA TORCIDA... O JUIZ JÁ ESTÁ NO NOVE...
ACHO QUE ALGUÉM TEM JOGAR A TOALHA...

Laercio Nicolau

segunda-feira, 25 de abril de 2011

domingo, 24 de abril de 2011

 ...COMO UM REDEMOINHO O PASSADO ME ENCONTROU, SOZINHO. DE PEITO ABERTO E VOZ SUSSURRANTE LHE FALEI: NÃO PASSAS DE UM VENTINHO...E VOEI.
Laercio Nicolau

sexta-feira, 22 de abril de 2011

quinta-feira, 21 de abril de 2011

quarta-feira, 20 de abril de 2011

terça-feira, 19 de abril de 2011

sábado, 16 de abril de 2011

CADENTE
TE QUIS E SONHEI TANTO, QUE ME TORNEI ESTRELA BRILHANTE E ME JOGUEI PERTO DE TI, CAINDO SÓ PARA FICAR ALI, SENDO TEU DESEJO LUZENTE, TE QUERENDO E TE SONHANDO. CÉU SOBRE O MAR REFLETINDO.
Laercio Nicolau

sexta-feira, 15 de abril de 2011

quinta-feira, 14 de abril de 2011

...EM CINZAS EU, VERDE ESPERANÇA, ME TORNO QUANDO O HOMEM ARROGÂNCIA, CEGAMENTE ME PISA...
Laercio Nicolau

quarta-feira, 13 de abril de 2011

segunda-feira, 11 de abril de 2011


A visão forte e pálida da figura transfigurava a paisagem
Remetia o mundo ao gélido pacifico
Remontava um vídeo frio e sem som, na retina o curta metragem...
Laercio Nicolau

...Eu sem você nessa cidade inundada de gente e as coisas retomam seu lugar de origem terrena, perdem a poesia que inventamos partindo dela. Eu sem você e a cidade que não é mais a mesma, não sei o que é maior: a Falta que sinto ao vê-la ou a saudade da poesia que sente ela...Os fins de tarde só são o começo das noites, que agora só fazem sentido sendo noites, assim  como para todos, hora de dormir e esquecer o dia. Muros são muros, pedras ferem meu pé, mas agora ferem ao ponto de perceber o que é a dor e o que são as próprias pedras, as  ruas são freqüentadas somente  por pessoas e correrias, sem as pausas que os amantes dão ao tempo. Agora por fim, o amor ainda existe, mas assim como para todos, dorme numa noite sem fim e ao calor do corpo sempre esfria...

Laercio Nicolau

sexta-feira, 8 de abril de 2011


Na primavera te floreço
Verão me queimo enfim
No inverno sempre te esqueço
Quando outono, Passarim

Laercio Nicolau

quinta-feira, 7 de abril de 2011

 HOMEM/ORIGEM

O MACIÇO AÇO E A CARNE FRACA

CÍRCULOS,VERTIGENS, IMPULSOS E PARAGENS

O QUE MOLDA E O QUE MATA.

Laercio Nicolau

quarta-feira, 6 de abril de 2011


OLHA, NÃO ME CONTE AGORA NADA
POR FAVOR, NÃO RECAPITULE
SOMOS QUASE PÁGINA VIRADA

Laercio Nicolau

O Odisseu

...Singrando inebriado e confuso de todos os sentidos, levo os sonhos reconstruídos e o peito repleto de uma luz e força, que a mim mesmo cega e arrebata. Me trago a ti, meu porto...

Laercio Nicolau

segunda-feira, 4 de abril de 2011


TANTOS CONTROLES REMOTOS
E NÓS À DERIVA, DESCONTROLADOS
ACIONANDO MAREMOTOS 

Laercio Nicolau




AÉREO...

...DISTANTE DA TERRA ME PERCO CONSOANTE E CHEGO UNS DIAS ANTES DE SER, NANTES...
Laercio Nicolau


 MULTIFACETADO
SOU A PALAVRA EM MOVIMENTO, CIRCULO EM TORNO DE MIM E DO QUE ME RODEIA, BEBO DOS OUTROS O QUE ACREDITO SER EU MESMO OU O QUE ME COMPLETA. METAMORFOSEIO. EXPERIMENTO SEM CAUTELA.
 Laercio Nicolau.

sábado, 2 de abril de 2011


Repasso agora , pra ti
Tudo que pensamos
E não construímos
Refaço-me de ti
E sozinhos entendemos
(o início e o meio mútuos)
Estendo-me de mim, 
De ti desprendes
E assim aproximamo-nos
...Único fim...

Laercio Nicolau

sexta-feira, 1 de abril de 2011