Memórias e esquecimentos

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

CURSO PARA HERÓIS FRACASSADOS: 
INFINITAS VAGAS  E MÁSCARAS GRATUITAS
VENHA E CHAME O DO TEU LADO.

Laercio Nicolau

   AMOR        
QUE ETERNO QUE NADA, QUERO QUE ME ACABE, QUERO QUE TE ACABES...
Laercio Nicolau
 CINEUTOPIA
QUERIA TER UM MECANISMO
PRA PODER GRAVAR MEUS SONHOS
E  LHE MOSTRAR EM UMA TELA, NUA E BRANCA.
VOCE VERIA QUE NÃO SOU TÃO ASSIM, COMO ME MOSTRO,
PELO MENOS QUANDO DURMO E SONHO. VOCÊ QUASE SEMPRE ESTÁ LÁ.
TENHO QUE inventar UM MECANISMO E TE MOSTRAR O QUANTO É BOM SONHAR, 
  QUERO SONHAR CONTIGO E ENFIM FILMAR.  Sonho projetar você EM uma tela grande.

Laercio Nicolau

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Amistoso
Joguinho bobo onde eu não ataco, tú não te defendes, na área é penâlti e eu não cobro.
Laercio Nicolau

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

ELECTRA

TEUS GESTOS DESENCADEIAM MÓLECULAS E APRISIONAM MINHA ALMA,  ELA ASSIM PERMANECE, POR ETERNOS SEGUNDOS ESTÁTICA E EM CHOQUE NO SIMPLES PENSAR NA VELOCIDADE COM QUE TUA ALMA POLAR ME TOCA.
Laercio Nicolau
FUREI MEU DEDO NUM ESPINHO DA ROSEIRA E SUGUEI MEU SANGUE ROSEADO, TIVE O SANGUE TRANSPLANTADO PELO ESPINHO DA ROSEIRA, AGORA É VERMELHO O DELA E O MEU É UM LIQUIDO PERFUMADO.
Laercio Nicolau

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

      Ando pela tarde e  chego a um lugar jamais visto, eu mesmo me vejo e não reconheço, talvez nunca tenha me conhecido.
Laercio Nicolau

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Celeste
Sou um homem, sou uma máquina, sou o tempo a correr pelos pulsos, sou a incapacidade de aceitar que não nasci sendo um pássaro, vôo sem impulso. Inconformo-me de ter nascido homem e morro para que não me matem.

( para Santos Dumont )
Laercio Nicolau

domingo, 23 de janeiro de 2011

Mesmo que não seja eu, que seja você
Só você nesta noite
Só esta noite
Só você
Só.
Laercio Nicolau
A doce imagem que criei de ti em minha memória solicita amnésia, pelo menos por algumas horas, enquanto me lembro de mim e volte a ser Rei nessa estória de Rainhas.
Laercio Nicolau

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Nós Brasil
 iguais,  distintos, infindos...
Laercio Nicolau
Bem clichê.
Uma brisa leve em minha face parece não tocar, mas me corta, vou me deixando, levado numa corrente boa e leve. Venta mais forte, arrasta coisas de lugar, muda as nuvens, me faz pensar na efemeridade do tempo e nas imagens passadas (sempre venta quando não quero). Ventania, tempestade que destroça o planejado, arranca-me de meu estado, me encobre de entulhos e me cega para novas paisagens. Brisa, vento e tempestade. Amor calmo e nebuloso, muito  clichê...
Laercio Nicolau

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

...Pedrinhas n'água, lembranças que sabiamente lá no fundo, os peixes me guardam.
( para Manoel de Barros )
Laercio Nicolau

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Insano
...Em minha última canção quero que dance comigo, sendo o  amor ou a amiga.  A derradeira tem que ser contigo,  para que das outras eu nem me lembre e desmemoriado ao teu passo siga. Aprenderei a dançar nessa vida e estar preparado para o grande momento,  nossa última canção sobre os amores já perdidos e cantados no samba, no tango, no fado...
 Laercio Nicolau
Luna llena
Numa noite vazia dessas vem você e chega com toda a luminosidade,  nem sei do que sinto tanta falta. Pelo resto da noite me guia. Sempre plena e eu ao teu lado.
Laercio Nicolau

sábado, 15 de janeiro de 2011

VENTO


...LÁ SE VAI MEU CORPO-PAPEL-SOLTO  SENDO CARREGADO PELAS RUAS DA CIDADE EM MOVIMENTO.

Laercio Nicolau
 - QUERIA SER UMA ÁRVORE. MEU PROBLEMA É A INQUIETAÇÃO, ME MOVO ATÉ PLANTADO. RAÍZES: QUANTA PRETENSÃO!

Laercio Nicolau
Abas largas

...Embaixo de meu chapéu trago um pouco de tudo que já  vivi e um muito do que me contaram. Todas as memórias aqui guardadas e abafadas. Coisas dessa terra, coisas desse céu, um pouco do que sou e um pouco que se perdeu...

Laercio Nicolau

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011



                 PRONOMES
  
PERDER-ME, PERDER-SE, PERDER-TE
UNIVERSOS OBLÍQUOS
JÁ SEM FORÇAS
ÁTONOS.
                                       
  Laercio Nicolau

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Aprumo

Tenho um plano e eu piloto, com tesourinhas corto as asas e nos eixos te coloco.

Laercio Nicolau

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

SAUDOSISMO


- QUERIA ENCONTRAR A TAL MOÇA DA JANELA, MAS NASCI EM OUTRA ERA. ATRASADO EU, APRESSADA ELA...


 Laercio Nicolau

domingo, 9 de janeiro de 2011


... Péssimo guardador de segredos próprios: os revelo em cores berrantes, nem sempre os vivo, nem sempre próprios, nem sempre segredos, nem sempre guardados, as vezes péssimos...

Laercio Nicolau

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Sorte
Como você me demora tanto tempo para chegar só para dizer que não vai poder ficar, Que azar.

Laercio Nicolau
 Morna filosofia


 Reflexos, luz, caverna. Platão nos passou a perna...
 Reflexos, luz, caverna. Platão nos passou a perna...
 Reflexos, luz, caverna. Platão nos passou a perna...
 Reflexos, luz, caverna. Platão nos passou a perna...
 Reflexos, luz, caverna. Platão nos passou a perna...
 Reflexos, luz, caverna. Platão nos passou a perna...
Laercio Nicolau

RECEITA DE SANGUE PARA CINEMAANTIGO

 A VIDA ESTÁ PEDINDO UM POUCO MAIS DE SANGUE E EU SÓ TENHO CHOCOLATE EM PÓ  MISTURADO A MEL E ANILINA VERMELHA.


Laercio Nicolau


BAILE NO PARAÍSO

 Mocinho e bandida,
Mocinha e bandido,
Bandinha e marchinha!
E lá se vão mascarados...
Banidos e murchinhos.

Laercio Nicolau

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

sábado, 1 de janeiro de 2011


Envio um chamado aos amigos: 

Peguem todas as tralhas e alegrias, dei-me a mão e vamos comigo. O caminho que anseio percorrer é repleto de inimigos, mas nós somos fortes se juntos e nossas asas junto à liberdade da alegria inebria ou contagia, nos livra de possíveis perigos. Dei-me a tua mão em nossa peregrinação pela vida, flertemos com ela e logo também será nossa amiga. Aos poucos um batalhão formaremos, na certa pelo caminho muitos se perderão, mas suas almas levaremos amarradas as nossas e no fim, se assim houver , venceremos ou no mínimo teremos uma boa estória com começo e meio, talvez sem fim.
                                                                                                                            
                                                                Do amigo Laercio Nicolau